A revolução dos bichos, George Orwell

A Revolução dos Bichos foi escrito durante um contexto bastante complicado politicamente: a Segunda Guerra Mundial, quando Inglaterra e URSS eram aliadas na luta contra o nazismo. Sendo George Orwell – pseudônimo de Eric Arthur Blair – um escritor indiano, mas morando na Inglaterra na época do lançamento do livro, houve um desconforto pela sátira ao regime stalinista.

Animal Farm, título original, é uma distopia, uma espécie de “conto de fadas” que conta a história da rebelião dos bichos de uma fazenda. Sentindo-se oprimidos por Jones, proprietário do local, os animais fazem uma revolução que culmina na expulsão dele. A partir daí, pouco a pouco, os porcos, liderados por Napoleão e Bola-de-Neve adquirem uma ascendência ideológica sobre os demais, muitas vezes estando de lados opostos.

Napoleão e Bola-de-Neve claramente são metáforas para Stálin e Trótski, respectivamente. Tal qual a metáfora, os acontecimentos da vida real se repetem na distopia de Orwell. Vê-se praticamente tudo o que caracterizou o regime stalinista: deturpação da história, execuções em massa, concentração do poder e assim por diante.

Alguns certamente dirão que A Revolução dos Bichos é um livro que vai além do contexto histórico no qual foi escrito. Sem dúvida, é verdade. O século XX foi cenário de diversos regimes totalitários. O Nazismo na Alemanha, o Fascismo na Itália, o Franquismo na Espanha, Salazar em Portugal, sem contar as dituduras que se deram na América Latina, inclusive no Brasil. Isto para citar apenas alguns exemplos.

Contudo, não creio que se deva esquecer o contexto em que Orwell escreveu este texto porque se não houver uma consciência disto, A Revolução dos Bichos pode se tornar um ótimo instrumento de manipulação ideológica com interpretações irracionalistas. Uma delas é dizer que o Socialismo de fato se deu na URSS e, comprovar o engodo que foi esta sua forma de organização econômica.

Entendo A Revolução dos Bichos como uma crítica aos regimes totalitários, tomando como caso bem específico, o Stalinismo. Talvez o resto dos bichos tivessem esse ideal – lá chamado de Animalismo – mas os porcos não podem ser caracterizados como socialistas. Eles simbolizam o corrupto que ocupa uma função e age de má fé, abusa de um poder, aproveitando-se de um lugar que lhe foi conferido.

O conceito de manipulação foi muito bem trabalhado. Não se trata de uma massa amorfa que crê no que é dito e que reage de forma igual a tudo. Orwell deixa bem clara a conivência dos bichos: muitos deles percebem que estão sendo explorados/enganados, mas não se mobilizam de forma ativa. Por medo, por ignorância, por falta de crença numa situação melhor, enfim, por vários fatores.

É um livro que tem que ser lido, mas não com o significado que muitos dão hoje: de desesperança e pessimismo diante da política. É um texto para refletir, principalmente, sobre nossa postura e capacidade de mobilização.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s